Fala de ex-PM ensinando a fazer sexo com mulher morta será investigada em inquérito civil, diz MP

  • 06/12/2023
(Foto: Reprodução)
Declaração de Evandro Bitencourt Guedes foi feita durante aula na AlfaCon Concursos Públicos. Empresa diz que 'respeita o ser humano' e que gravação é antiga e foi retirada dos canais da plataforma. Vídeo mostra trecho de aula de ex-PM ensinando a fazer sexo com mulher morta A fala do ex-PM e professor Evandro Bitencourt Guedes ensinando alunos a fazer sexo com uma mulher morta será investigada em inquérito civil, afirmou o Ministério Público do Paraná (MP-PR) ao g1 nesta quarta-feira (6). As falas, segundo o órgão, representam "suposta violação sexual de mulher morta". ✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp ✅ Siga o canal do g1 PR no Telegram A declaração de Evandro foi dada durante uma aula da Alfacon Concurso Públicos, de Cascavel, empresa da qual ele é diretor-presidente. Conforme o MP, a declaração de Evandro vai ser incluída em um inquérito civil em curso, contra a instituição, que apura declarações dadas durante aulas em que "há manifesta violação de direitos, preconceito, reiterado discurso de ódio e incitação à prática de crimes". No ano passado, uma reportagem do g1 mostrou que, em outra aula, o professor dizia gostar "de bater nas pessoas". "O caderno investigatório tem por objetivo apurar as notícias veiculadas na imprensa nacional e em rede social, notadamente sobre as condutas de professores da instituição." Conforme o artigo 212 do Código Penal Brasileiro, a violação de cadáver configura o crime de vilipêndio. Vilipêndio de cadáver: entenda o que é o crime e as penas previstas Em nota veiculada nas redes sociais na segunda-feira (4), a empresa AlfaCon Concursos Públicos disse que o vídeo é antigo e se trata de uma aula transmitida ao vivo no YouTube e que foi retirada do ar "para que nenhuma pessoa mais faça mau uso do conteúdo e em respeito a todos que possam se sentir ofendidos com a colocação". "AlfaCon, como empresa que respeita o ser humano acima de qualquer coisa, entende a indignação demonstrada nas redes sociais, pois o vídeo foi editado de forma a parecer que o professor em questão era praticante do crime. O que não é verdade. O vídeo na íntegra deixa claro que se trata apenas de um exemplo fictício e caricato para ilustrar uma situação do direito penal", diz a nota. A empresa ainda não se manifestou sobre a inclusão da fala de Evandro no inquérito civil informada pelo MP nesta quarta (6). O g1 procura contato com a defesa de Evandro. Leia também: Duplo feminicídio: Vídeo mostra agressões pouco antes de delegado matar esposa e enteada Internet: Vídeo mostra trecho de aula de ex-PM ensinando a fazer sexo com mulher morta Susto: Vídeo mostra momento em que mulher é 'engolida' por cratera em calçada A gravação Ex-policial Evandro Bitencourt Guedes em aula da AlfaCon Concursos Públicos Redes sociais Na gravação que será inserida no inquérito, Guedes diz: "Imagina, filho, você que é virgem. Aí você passa num concurso de técnico de necropsia de nível médio. Aí você tá lá e vem uma menina do 'Pânico na TV' morta. Meu irmão, com aquele rabão e ela enfartou de tanto tomar bomba, enfartou na porta do necrotério. Duas horas da manhã, não tem ninguém. Você bota a mão: 'Uhmmm, quentinha ainda'. O que você vai fazer? Vai deixar esfriar? Meu irmão, eu assumo o fumo de responder pelo crime. Meu irmão, o difícil vai ser você arrumar uns travesseiros porque c**** ela de bruços não dá. No mesmo trecho, o professor da empresa especializada em preparação para concursos públicos reconhece na gravação que a prática é crime: "É crime? É, você mexeu com a honra do cadáver, o sujeito passivo do crime é o familiar da vítima. Você imagina o pai: ‘Ai, minha filha morreu e o cara de 19 anos, aluno do Evandro, porra, conseguiu botar minha filha morta para c***** p**"." Em outro trecho, Guedes ainda afirma: "Tem que responder pelo crime, mas a pena é desse tamanhozinho [sinaliza com as mãos] vale à pena responder”. MP vai tentar ajustamento de conduta Além do inquérito civil, conforme informou o MP, a 12ª Promotoria de Justiça designou uma reunião com os sócios da empresa, para janeiro de 2024, para buscar a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta para estabelecer: "1- treinamento periódico e obrigatórios aos professores da empresa; 2 - em razão do dano moral coletivo causado em virtude dos episódios de discriminação e intolerância praticados no âmbito da pessoa jurídica e pessoas naturais investigadas, a destinação de valor para custear e fomentar a realização de campanhas educativas de combate à discriminação e intolerância e/ou projetos sociais com o mesmo foco." VÍDEO: Os mais assistidos do g1 PR Leia mais notícias do estado em g1 Oeste e Sudoeste.

FONTE: https://g1.globo.com/pr/oeste-sudoeste/noticia/2023/12/06/fala-de-ex-pm-ensinando-a-fazer-sexo-com-mulher-morta-sera-investigada-em-inquerito-civil-diz-mp.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes